jusbrasil.com.br
28 de Outubro de 2020
    Adicione tópicos

    Factoring

    há 10 anos
    O Factoring iniciou no Brasil em 1982 com a fundação da ANFAC - Associação Nacional das Sociedades de Fomento Mercantil. As empresas de factoring estão no mercado para fomentar a economia, cumprindo um papel social, pois é responsável pela manutenção de milhares de empregos e empresas. Além de comprar créditos, a factoring presta serviços de gestão financeira como acompanhamento de contas a pagar e receber, fluxo de caixa, cadastro de fornecedores etc... Na compra de crédito cobra-se o fator de compra que nada mais é que o deságio, e cobra-se o ad valor pela comissão da prestação dos serviços.Destaca-se que a factoring não cobra juros, pois não é instituição financeira.

    No Brasil, o factoring está organizado através de Sindicatos (SINFAC's), todos vinculados à ANFAC. Santa Catarina tem uma peculiaridade, é o único Estado que a sede está situada fora da capital (Criciúma). O Factoring ganhou força no sul de Santa Catarina nos últimos 10 anos através do trabalho incansável dos associados, diretoria e presidente do Sindicato, Sérgio Dagostim, que cumpre seu terceiro mandato consecutivo no Sinfac. Em Criciúma está sendo ministrado o segundo MBA em Fomento Mercantil do Brasil, sendo referência nacional no setor.

    O fatoring é um dos ramos que mais recolhe impostos. Tem considerável importância para o desenvolvimento e progresso do país e do mundo, a exemplo de países europeus, onde tem grande representatividade. As empresas de Factoring são sólidas porque na sua maioria possuem líderes experientes em gestão financeira. Há também a atuação e suporte da ANFAC, que é umas das organizações que mais promove eventos para capacitação de profissionais da área e departamentos jurídicos. A exemplo, pode-se destacar encontros jurídicos realizados em Criciúma, Curitiba, Balneário Camboriú. Outro encontro, sendo o maior do país foi o IX Congresso, em junho de 2008, onde se destacou a participação dentre outras, do advogado Ives Gandra e também do Ministro do STJ Gilson Dipp. Especial convidado foi o professor Alessandro Carretta, Secretário Geral da Associação Italiana da Factoring que veio especialmente para o evento.

    A ANFAC e os Sinfacs têm aproximado e mostrado ao judiciário, que por algum tempo não viu com bons olhos a atividade de fomento mercantil, o seu verdadeiro papel para economia. Em todos os eventos o judiciário tem sua cadeira reservada inclusive na presidência de painéis, onde juízes e desembargadores participam ativamente. Em Criciúma, o SINFAC demonstra buscar meios para que o factoring esteja mais sólido a cada dia. Com a aprovação do projeto de Lei 13/07, o factoring definitivamente terá sua atividade definida em lei, o que o tornará ainda mais forte!



    Autor: Giovani Duarte Oliveira - OAB/SC 16.353 - Advogado, atuante em assessoria jurídica empresarial, especialista em direito processual civil, associado à ABAEF - Associação Brasileira dos Advogados de Empresas de Fomento Mercantil, co autor do livro Percepções.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)